domingo, 19 de abril de 2009

Herrar é Umano


Nunca pensei que as aulas viriam a ter uma influência tão grande nas minhas ações diárias. E foi numa dessas palestras irrelevantes que obtive uma informação altamente relevante para minha vida através um professor de química: "O PH de um sabonete DOVE é neutro, tal qual o PH da água. Por isso, não arde nos olhos"; e para não falarem por aí que não aproveito as aulas, não poderia deixar de testar.

Naquela tarde, ao chegar em casa, fiquei tomando coragem para enfiar uma pasta de dove bem no meio da vista e ver o que acontece. Primeiro, era necessário procurar um sabonete dove. E eu procurei; minha mãe tem o estranho costume de consumir esse produto, o que me afeta diretamente. Fui ao banheiro procurá-lo, mas o que encontrei na pia foi um toco branco totalmente semi-novo. E, considerando que o PH de uma substância não deve alterar-se com o tempo, tasquei a mãozona nele e enfiei com tudo nos dois olhos. E me arrependi profundamente.

A dor que gerou aquele ato estúpido fora tão ardente que, creio eu, furá-los seria menos doloroso, pelo menos no início. Lavei rapidamente com água corrente e, assim que pude ver de novo, certifiquei-me de que ninguém teria visto aquela cena ridícula. Graças a Deus, ninguém viu. E como para qualquer idiota que não aceita a obviedade das consequências das ações da vida, os resultados não me satisfizeram: "certamente, aquele toco não era um toco de sabonete Dove". Esta primeira conclusão me gerou uma nova ideia, e quando tomei coragem novamente, fui ao box e percebi que havia um sabonete gordo em formato de seio, ou seja, um dove verde, com a superfície lisa, portanto um sabonete "quase novo" (o que, pelo menos no meio automobilístico, é muito superior a um "semi-novo").

Lá fui eu, mais uma vez, rumo à experiência científica. Graças a caras como eu, é sabido que urânio é radioativo, que Antraz mata e que não se come mata-cavalo. E Dove, afinal, arde os olhos? Passei a mão sobre a superfície daquele produto gosmento usado para lavar as partes íntimas - o que não me ocorreu em nenhum momento àquela hora - e, desta vez, com mais cuidado, passei em apenas um olho. Passado um segundo, nada. "Há! Esse é o poder do Dove!". Passados dois segundos, uma fincada. "Nada é perfeito". Passados três segundos, uma conclusão química: "O PH DESSA PORRA É 14!". E, a partir daí, enfiei a cara debaixo d'água para acalmar a ardência excessiva. Senti-me um tremendo retardado - a primeira conclusão correta do dia. Além disso, com o orgulho ferido, acreditei que aquele sabonete não fosse Dove de fato, mas alguma daquelas marcas que o imitam em formato, odor e coloração, MAS NÃO EM PH!

Ainda decepcionado, chegou quinta-feira, o dia em que eu geralmente almoço na casa de minha avó. Lá, com certeza, haveria um sabonete DOVE legítimo - o consumo desse produto era quase que genético. Chegando lá, cumprimentei a querida vovó e fui direto ao seu banheiro, onde encontrei um sabonete branco, em forma de seio, com cheiro de leite e com os seguintes dizeres na sua superfície: Dove. "EU ENCONTREI! EU FINALMENTE ENCONTREI!" Era um Dove LEGÍTIMO! Ninguém poderia criar uma marca em que o nome, o formato, o cheiro e a cor fossem idênticos à marca líder. Era preciso tirar a dúvida de uma vez por todas! E, sem pensar muito, arrastei o dedo por cima daquela gosma burguesa e, com muito mais cuidado, espalhei por toda a superfície do meu olho esquerdo. Foi aí que cheguei à minha conclusão final:

Jamais acreditar em um professor de química.

15 comentários:

Marcelo disse...

não sei se tu vai fica feliz ou triste, mas eu ri MUITO lendo isso!!!

Lucas disse...

é legal rir do aleijadinho né?

Marcelo disse...

é bem divertido brincar com o aleijadinho(?)!

Saldanha disse...

também não confio em professores de quimica...
rsrsrsr.
vc escreve muito bem.sabe conduzir uma boa história..

valeu..

cahierdemarie disse...

Cara! Se eu fosse fazer tudo o que os professores de química e física me dizem... Eu já estaria num hospital!!!



hauahauahauhaaauhaauahauahau

Não gosto de Dove...

Patrícia Andréa disse...

Nem em professores de matemática, de física, e principalmente: nunca, jamais, acredite em políticos!=)

Passa lá no meu blog q tem post novo!

Bjus e bom feriado!

Paola disse...

ai que cabeçudo, tu fez isso mesmo? e fez mais de uma vez? :x

Sergio Trentini disse...

o pato sempre foi mentiroso.
ele curtia ira (a banda), isso ja diz tudo.

Marcos disse...

UauhUAHEUH , realmente nao da pra confiar em tudo que os professores dizem =/

Marcelo disse...

mudo o título?!?!

Lucas disse...

mudei, sugestão e créditos à Paola! :D

Diogo disse...

Errar é humano, persistir é burrice. E a terceira? asuhsahusahu
Muito bom, cara. Tipicamente tu.

Paola disse...

essa frase que deu origem ao título atual.

Jonas disse...

Próximo passo: colocar xampu de bebê nos olhos!

Jonas disse...

Próximo passo; colocar xampu de bebê nos olhos!
hahsuhas muito bom!
Abraço