quinta-feira, 23 de abril de 2009

Cabeça de Teta


Há duas coisas que me causam repugnância: insetos peludos voadores e escuridão. Relacionando-as, podemos notar que a maioria dos insetos peludos voadores são escuros, e na escuridão não podemos ver os insetos peludos, portanto, esse ecossistema me causa arrepios quase homossexuais (se tivesse a ver com sexo, mas não tem, ok?)

E foi agora há pouco, enquanto me lamentava por não ter nada de interessante para postar, que tive a certeza que há alguma força pró-postagens agindo sobre este blog. Aconteceu algo que me deixou muito infeliz, mesmo; mas como quase tudo de terrível que me acontece soa muito engraçado para os outros (pelo menos é o que noto quando conto tragédias e recebo risadas em contrapartida), resolvi transformar isso no post do dia. Mas qual a relação disso com o inseto maldito e as trevas?

Estava eu, depois de um dia condensado de estudos, na minha hora de lazer (às 22h), quando então sentei na cama com o laptop para me comunicar com o mundo. Abri a janela, para entrar a brisa úmida do sul, e esse talvez tenha sido meu maior erro do dia. Afinal, o que levaria alguém a pensar que abrir uma janela poderia lhe custar muita dor existencial? Com as luzes e o abajur ligados (eu realmente gosto de claridade), a atração necessária criou-se, e o tão asqueroso inseto peludo voou em direção à lâmpada. Isso me irrita muito. O que fazer para evitar o constrangimento de dividir meu conforto escasso com um animal indecente? Pegar uma meia suja.

E foi com esse artefato quase ignorado pela sociedade brasileira num fim de noite que meu drama alcançou o auge. Subi em cima da cama para alcançar o bicho com mais facilidade, pois ele voava ao redor da lâmpada como se fosse um animal. Ao subir, com a meia na mão, sacudi-a como uma perua louca em movimentos de vai-e-vem, mas o inseto conseguia desviar "com uma facilidade do caramba". E, pensando menos que ele, extremamente estressado, acabei direcionando toda a força numa "meiada" fatal, mas, para a minha infelicidade, acertei a lâmpada do meu quarto, que parou de funcionar na hora. Quase chorei, por vários motivos: primeiro, e crucial, por ter ficado sem a tão almejada iluminação; depois, por ter transformado a minha "hora virtual" em uma "hora de preocupação". Senti aquela típica preguiça de viver, sabem?

Pois bem, a notícia boa é que acertei o rapazote.

Tratei, então, de dar um jeito. Troquei os restos mortais da minha potente lâmpada de 200w por uma infeliz de 100. Não fiquei satisfeito: corri para o banheiro e peguei a que lá estava, também de 200, e troquei uma pela outra. No meu quarto, pareceu bem inferior à que antes estava, mas sei que é psicológico. O fato é que, durante essa função toda, senti uma dorzinha quase nula abaixo do dedo mínimo do pé direito. Inconscientemente, julguei ter pisado em um caco de vidro da lâmpada velha - a despeito de ela não ter quebrado. Depois de tudo ter se resolvido (ou pelo menos era o que eu pensava), sentei na cama com as pernas cruzadas e tornei a pegar o notebook, mas a dorzinha incomodava demais. Foi quando resolvi olhar para o pé pela primeira vez.

O bicho estava esparramado na sola do meu pé, com seus pêlos completamente dispersos (provavelmente era o que me causou a dor). Saí correndo frescamente até o box, onde lavei meu pé com água corrente e sabão dove (bem longe dos olhos). A dor aliviou, mas agora que sabia sua nojenta fonte, parecia ser bem mais significativa. Voltei ao quarto para me desfazer do bicho e percebi que ele ainda estava vivo - sim, eu tenho problemas com insetos, percebem? Ele espalhou o restante de suas toxinas pretas por uma área considerável da minha colcha. Fiquei muito triste ao ver essa cena lamentável, e já corri atrás de um pano úmido. Limpei e peguei o animal, levando-o até a patente. A vida dele estava em minhas mãos, e eu o matei por julgá-lo uma ameaça.

Uma ameaça ao meu ego.

11 comentários:

Paola disse...

luga e os insetos. sempre. eu tbm odeio insetos peludos, mas adoro a escuridão :x e um dia tiro tuas lâmpadas excessivas do quarto.
que bicho é esse da foto? :S
beso!

Marcelo disse...

que bicho é esse da foto? (2)
tu conseguiu faze a lâmpada para de funciona com uma meiada???
puuuxa

Lucão disse...

acredito que seja uma mariposa, mas o bicho em que pisei era muito pior, acreditem! E sim, a meiada foi tão forte que arrebentou a mola e quase fundiu o tungstênio :(

(tá, exagerei)

Anônimo disse...

não é mola, é filamento. 8)

Lucas disse...

tu não disse que ia parar de postar em anônimo? xP

Sergio Trentini disse...

Lucas 2.
Mundo animal 0.

Paola disse...

disse :( mas nao tava logada e deu preguiça :x

Marcos disse...

Lâmpada de 200w? Isso nao é exagero?ahuhauhauhaha

Patrícia Andréa disse...

Aiai...Com insetos não tenho problemas, nada q um bom chinelo (ás vezes combinado com um daqueles venenos em spray) não resolva. Já quando se trata de lagarixas... Não é medo, nem trauma (pelo menos eu acho), só respeito: eu fico no meu canto e ela no dela ;)

Passa lá no meu blog q tem post novo!
Bjus e tenha uma ótima semana!

Paulo Barradas disse...

Baita chupador.
Pega esse bicho e come, primata.

Jonas disse...

Vou te apresentar o Stuart, meu louva-deus de estimação. Rapaz simpático ele.