segunda-feira, 11 de maio de 2009

Jamais Negue um Copo


A sede bateu. Estava indo em direção à parada próxima ao viaduto da João Pessoa/Salgado Filho e percebi que precisava de uma lata de um só buraco. Como minha cadela homicida recém havia triturado minha carteira de couro, portava naquela hora apenas um estojo com uma nota de R$ 10,00, e entrei num daqueles bares-chulé de esquinas circulares. Li bem a plaquinha: R$ 2,00 a lata. Certo; peguei uma e me diriji ao caixa, notando a sujeira daquele alumínio. Limpei-o, mas é óbvio que minha neorose não se acalmou. Eu precisava pedir um copinho.

Mas antes de pedir um copinho, teria de pagar; puxei a nota do bolso e tenho quase certeza que a velha nem olhou o valor, só notou que não era azul e já se pronunciou com aquela voz arrogante de bolicheiros mal-sucedidos:

- Tu não tem dois "reau" trocado?

Eu me irrito muito com isso. É impossível que um mercado, por pior que seja, não tenha troco ao meio-dia no centro de Porto Alegre. Eu não costumo ser chato, sabe, mas...

- Não, moça (alguém consegue dizer "minha senhora" ao vivo?), se eu tivesse dois reais trocados eu te daria dois reais, e não dez - e dei aquele sorriso irônico-simpático.
- Nem em moeda? - disse já sabendo a resposta. Não respondi. Ela pegou com rancor as notas trocadas e me deu. Era a hora que requisitei meus direitos de consumidor.
- A senhora tem um copinho? - disse olhando para a pilha de copos descartáveis no outro balcão.
- Não. - entregou as notas.

Saí um tanto aflito, como se tivesse sido ofendido. É uma péssima característica minha: eu levo desaforo para casa. Porém, a ironia do destino fez-me perceber que ela me dera R$ 9,00 de troco, ou seja, um real a mais do que deveria. "É a primeira lata de um real desde 97", pensei. Dei um passo adiante e parei. Era a hora de fazer minha glória. Voltei.

- A senhora me deu um real a mais.
- Oh, muito obrigada meu filho! - disse surpresa.
- Que isso, fica pelo copo.

Suas gordas faces coraram-se.

10 comentários:

Marcelo disse...

muito boa!
"Que isso, fica pelo copo." foi genial!!!

Paulo Barradas disse...

Cuidado com o plástico... o bisfenol-A tá comendo solto a gurizada... auhhua

Paola disse...

sinto que isso jamais daria certo comigo :T por isso é bom sair contigo iaeopaeipoaeiapeo

beijo, namor ;@

Marcos disse...

hUhauuhaha

Owned na velha.

Sergio Trentini disse...

adoro esses cortes lindos!

Sergio Trentini disse...

sem ambiguida... ah, com ambiguidades, azar.

Gabriel disse...

primeira lata de um real desde 97... xDDD

e, sim, eu também digo moça às anciãs...

David disse...

huaheu demais tua narrativa pelos pulgueiros da João Pessoa xD demais teus textos fera escreve tri bem

thaysehoffmann disse...

pq na minha vida nao acontecem coisas legais assim, hein? nunca tenho oportunidade de falar uma coisa genial dessas pruma dona velha de boteco..
tu precisa lançar teu livro de contos pra ontem, mesmo!

thaysehoffmann disse...
Este comentário foi removido pelo autor.